Sobre amores e garrafas vazias de vinho.

sábado, 21 de maio de 2011

Pra ninguém ...

Ninguém pra ligar e dizer onde estou
Ninguém pra ir comigo onde eu vou
Por outro lado
Ninguém pra abaixar o volume
Ninguém pra reclamar dos pratos sujos
Ninguém pra fingir que eu não amo

Toda noite no mesmo lugar
Eu abro os olhos
E deixo o dia entrar
Pra ninguém
Pra ninguém

Ninguém pra dizer quando eu devo parar
Ninguém na casa pra poder acordar
Do meu lado
Ninguém pra contar novidades
Ninguém pra fechar as cortinas
Ninguém pra brigar de vez em quando

Toda noite no mesmo lugar
Eu abro os olhos
E deixo o dia entrar
Pra ninguém
Pra ninguém

[ Dinho Ouro Preto ]

2 comentários:

Moleza na Beleza disse...

grande Dinho sempre fazenso ótimas composições, admiro ele tanto como cantor quanto como compositor

Luiz Gustavo Martins Figueredo disse...

Dinhoo escrachaa !! tbm curto as composições de Humberto Gessinger..

estou seguindo ! retribui ai por favor:

GENNO E SCIENTIA

http://gennoescientia.blogspot.com/

abrass..